Gestão de pessoas em 5 tópicos

Liderar uma equipe é sem dúvida uma das tarefas mais difíceis de um líder, por isso, eles ganham melhores salários, tudo pela responsabilidade dos resultados de toda equipe.

As pessoas são diferentes na forma de agir e pensar, mas s]ao iguais na essência, por isso tamanha complexidade ao lidar com elas.

Aqui escolho 5 tópicos que em minha opinião são os mais importantes para realizar uma boa gestão de pessoas.

1 – Pode parecer loucura o que vou dizer, mas o líder deve pensar nos resultados somente no inicio do processo de gestão, com o passar do tempo coloque os resultados em segundo plano, pois ele irá acontecer naturalmente caso esteja fazendo uma boa gestão. O ideal é que exista alguém fazendo esse controle de resultados para você e os relatórios cheguem prontos e a tempo.
A comunicação dos objetivos, seja da empresa ou os individuais, deverá ser bem feita no começo do processo, a ponto de não deixar dúvida nenhuma de onde a equipe está, como e onde deverá chegar. Essa avaliação constante se a equipe assimilou ou não os objetivos, deverá ser feita por você diariamente.
2 – Conheça toda sua equipe como a palma da sua mão, sentimentos, dificuldades, com quem pode contar e com quem nunca poderá. Isso te fará ganhar tempo e produtividade nas prioridades que surgirão.
Treine constantemente essa equipe, não necessariamente só com treinamentos específicos, mas converse, passe mensagens que gostaria que fosse praticada e lembre-os sempre que saírem do foco.
3 – Pergunte todos os dias como está cada integrante da sua equipe, dê feedback quando necessário, ouça sempre as necessidades das pessoas. Proporcione ferramentas adequadas para o desempenho do seu pessoal. Seu tempo deve ser direcionado para dar qualidade de trabalho e medir a produtividade individual.
4 – Seja um exemplo, nas atitudes, horários, ética, honestidade e sinceridade. Só assim poderá esperar e cobrar a mesma coisa deles. Muitas vezes os resultados acontecem pela motivação que a equipe tem em relação a empresa e o líder.
5 – Crie um substituto, ter alguém na equipe que possa te substituir é fundamental para todos, para a empresa proporcionará segurança, para você a tranquilidade em um possível crescimento e recolocação interna e para a pessoa escolhida, maior motivação pelo reconhecimento.

A organização é um acontecimento especial

Essa frase não é minha. Ela costuma ser a primeira coisa que Marie Kondo, consultora em organização, palestrante e autora do livro “A Mágica da Arrumação, diz em suas palestras mundo afora. E esse foi o primeiro livro sobre o tema que li e que me surpreendeu pela maneira séria e, ao mesmo tempo, emotiva com que a autora fala sobre o processo de organização.

Na verdade, me identifiquei em cada parágrafo e me pegava rindo, muitas vezes, tamanha era a concordância com as ideias desta autora. E a primeira ideia que concordei diz respeito à frase “A organização é um acontecimento especial e deve ser tratada como tal”. Mas o ela quis dizer com isso?
Trabalho de organização = maratona
Ao decidir mudar de estilo de vida por meio da arrumação, deixando no lar apenas o que é especial e que “fala direto ao coração”, como diz a Marie, precisamos fazer o trabalho de arrumação de uma só vez, rapidamente, como em uma maratona, e de uma vez por todas. Segundo a autora, esse acontecimento especial fará com que as chances de a bagunça retornar sejam mínimas. Depois desse processo, o que precisará ser feito serão apenas pequenas arrumações para manter as coisas em seu lugar de origem.
Quando morava com os meus pais, lembro-me que sempre havia alguma grande mudança em minha vida e, em decorrência disso, eu escolhia um dia no ano para tornar a organização um acontecimento especial. Isso porque eu sempre fui organizada e, fora esses acontecimentos decorrentes de uma grande mudança, o meu quarto sempre estava em ordem, com tudo no lugar.
O primeiro grande acontecimento
Um desses acontecimentos foi pela decisão da minha mãe em contratar uma loja de decoração para projetar os móveis de todos os quartos, inclusive no meu. Depois de o projeto ter sido aprovado e montado, foi a hora de escolher um dia para decidir o que jogar fora e definir onde guardar o que ficou. Para a Marie, o processo de organização envolve basicamente essas duas ações.
Nesse dia D, lembro que me sentei no chão do quarto e comecei a organizar por categorias (primeiro roupas, depois sapatos, para então organizar os papeis, etc.), jogando fora e doando sacos e mais sacos de coisas que não tinham mais a ver com o novo “eu” que acabara de ganhar um quarto novo.
O segundo grande acontecimento
Anos após essa primeira grande mudança, tiveram algumas outras importantes, como a minha formatura em Jornalismo, ocasião em que tive que organizar os livros que estava usando para fazer a monografia, e abrir espaço para outros livros e apostilas da pós-graduação, por exemplo.
Outra ocasião não menos importante para mim foi quando retornei de uma morada de dois anos nos Estados Unidos, carregando comigo lembranças, itens de decoração e outros objetos que, no momento, achei importante que estivessem em algum lugar do quarto. Mais uma vez, um dia especial foi marcado na agenda, e lá fui eu passar o dia todo nessa maratona.
Mas o segundo grande acontecimento foi a minha mudança para o Rio de Janeiro. Sou de Natal, conheci um carioca, e decidi vim pro Rio para morarmos juntos. Com isso, fui à Natal para me desfazer de muitos itens, doar outros tantos, e trazer ao Rio os mais importantes para mim, como fotografias, livros de arte, e outras lembranças que cabem no apartamento que moramos hoje.
Faça a organização do jeito certo
Foi por conta de algumas ocasiões especiais, decorrentes de mudanças na minha vida, que precisei focar em trabalhos de organização pra valer, o que, segundo a Marie, é o método de organização que realmente funciona, pois ele influencia as emoções e o estilo de vida. Isso acontece porque você se entrega por inteiro ao processo, concentra seus esforços em um único objetivo, num curto período de tempo, e consegue enxergar resultados instantâneos.
Esses resultados darão a motivação que você precisa para manter tudo em ordem sempre, todos os dias. E servirá para a vida toda ou até você precisar encarar uma grande mudança, seja de casa ou decorrente de um grande acontecimento que fará com que repense tudo o que tem, mais uma vez.

Ergonomia! Porque você precisa!

Você já escolheu a sua casa, quer começar a planejar a mudança pra lá, mas ainda não comprou nenhum móvel? Antes de sair por aí batendo perna e escolhendo apenas pelo visual, você precisa saber sobre ergonomia.
Afinal de contas, o que é ergonomia?
Segundo a Associação Brasileira de Ergonomia, ela é o estudo da adaptação do trabalho às características fisiológicas e psicológicas do ser humano. Com isso, as dimensões dos objetos devem estar relacionadas com as do corpo humano.
Para que entenda melhor o conceito de ergonomia, tão importante no desenvolvimento de qualquer projeto de design de interiores, vamos contextualizar o termo para a realidade da sua casa.
As medidas dos espaços precisam ser respeitadas
Antes de escolher os móveis para a sua casa, é preciso saber se eles de fato são para a sua casa. Explico melhor. Cada ambiente possui medidas definidas, correto? E é preciso que haja uma circulação eficiente dos moradores da casa dentro dos cômodos, que não se esbarre nos móveis, e que haja conforto visual, com a escolha de uma quantidade de objetos adequada para o tamanho de cada espaço.
Para que se tenha uma ideia, espaços mal projetados, com soluções inapropriadas aos moradores, são sinônimo de falta de pesquisa e entendimento sobre que tipo de tarefas são realizadas em cada ambiente e por quem, ou seja, qual a altura e a largura da pessoa.
Medidas harmônicas
Saber quem é a pessoa que utilizará o ambiente é importante na hora de escolher as cadeiras, por exemplo. Elas devem ter uma altura que permita colocar os pés inteiros no chão.
Já para calcular a altura ideal de uma estante ou prateleira, deve-se ficar em pé em frente à parede, esticar um dos braços para frente, na horizontal, e depois eleva-lo a um ângulo de 45 graus. A prateleira mais alta deve ficar na altura da mão.
Quando falamos de alturas de mesas, dependendo do tipo, elas diferem. Por exemplo, a mesa de jantar pode ficar na altura dos cotovelos, ao sentar em uma cadeira. Já a escrivaninha deve ter uns 10cm a mais de altura para aproximar o trabalho dos olhos e evitar que se curve. Se a mesa do escritório for usada por várias pessoas da família, melhor procurar uma cadeira com assento e encosto reguláveis e que apoie a região lombar.
Circulação nos ambientes
Uma circulação adequada nos ambientes da casa significa poder circular livremente entre os móveis e também usa-los confortavelmente. Dentro da ergonomia, usar um móvel de modo confortável quer dizer que, ao abrir portas e gavetas dos armários ou ao afastar cadeiras em volta da mesa, por exemplo, deve-se faze-lo sem nenhuma barreira ou sem atrapalhar a circulação das outras pessoas.
A circulação quando é natural flui sem problemas, isto é, sem desvios dos moradores de móveis e outros objetos. Já quando a circulação é considerada “forçada” os moradores desviam do caminho natural por motivos funcionais ou estéticos. Nesse caso, deve-se usar elementos que redirecionem o fluxo, como diferentes materiais no piso, cores, tapetes, alternância de alturas no teto ou, até mesmo, iluminação adequada.
É por isso que em um projeto de design de interiores deve-se seguir algumas medidas padrão para se fazer um estudo de circulação e de distribuição dos móveis nos ambientes.

Administração de Tempo

O que diferencia os líderes e as equipes campeãs é a estratégia, o “fazer” direcionado a uma meta específica. Para isso, é necessário respeitar os três Ps da correta administração do tempo:
1) Prioridade 
Há quatro categorias de atividades diárias que todos nós enfrentamos:
1a – aquilo que queremos e precisamos fazer;
2a – aquilo que precisamos, mas não queremos fazer;
3a – aquilo que queremos, mas não precisamos fazer e
4a – aquilo que não queremos nem precisamos fazer.
Um sinal de uma má organização do tempo é quando você, todos os dias, tem algumas tarefas que podem ser encaixadas no último tipo: aquelas que não quer, nem precisa fazer. As tarefas do segundo grupo também são perigosas. É normal criarmos atividades que sejam prazerosas, mas que não são importantes. Partes de rotinas e tarefas que ocupam nosso tempo e que, no fim das contas, resultam em pouco ou nenhum ganho para a companhia.
É preciso se conscientizar que estar lotado de trabalho, pulando de uma reunião para outra, sem organização, não significa que você está ganhando dinheiro ou fazendo a empresa avançar.
– Observe a missão e os valores da organização.
– Analise a razão de ser da sua equipe.
Assim, você irá identificar o que importa de verdade e quais tarefas realmente precisa cumprir.
2) Propriedade
No sentido de ser adequado, de estar encaixado nos padrões aceitáveis. Propriedade significa uma lista do que é certo, composta de sete itens:
1. Faça a coisa certa.
2. Faça pelas razões certas.
3. Faça com as pessoas certas.
4. Faça na hora certa.
5. Faça na ordem certa.
6. Faça com intensidade.
7. Faça pelos resultados certos.
Essa lista não apenas ajuda a determinar qual é a sua prioridade como também mostra o que deve ser feito para assegurar um bom desempenho!
Fazer as coisas que precisam ser feitas do primeiro P e seguir a lista do que é certo garante entrega total a uma tarefa de cada vez, o que permite que as coisas sejam realizadas com mais qualidade e rapidez – ou de uma forma que você nem sinta.
Seguindo a lista, tudo se encaixa no lugar e a tarefa flui de uma maneira tão certa e agradável como um bom filme.
3) Compromisso
O terceiro P é mesmo uma palavra com C para que você lembre melhor da regra: Compromisso é traduzido pela frase: “Você precisa querer”.
Você tem de estar comprometido com as coisas certas e que realmente importam, tanto em sua vida pessoal como profissional. Portanto, é preciso querer e se entregar completamente em cada tarefa.

30. Dobre seus lençois e forme conjuntos para facilitar na hora de trocar a roupa de cama!

26. Use caixinhas com divisórias pequenas, caixa de ovo de codornia ou forma de gelo, para colocar seus brincos.

25.Arrume um local único para guardar todas suas bolsas, assim não tem como não lembrar as que tem!