Ergonomia! Porque você precisa!

Você já escolheu a sua casa, quer começar a planejar a mudança pra lá, mas ainda não comprou nenhum móvel? Antes de sair por aí batendo perna e escolhendo apenas pelo visual, você precisa saber sobre ergonomia.
Afinal de contas, o que é ergonomia?
Segundo a Associação Brasileira de Ergonomia, ela é o estudo da adaptação do trabalho às características fisiológicas e psicológicas do ser humano. Com isso, as dimensões dos objetos devem estar relacionadas com as do corpo humano.
Para que entenda melhor o conceito de ergonomia, tão importante no desenvolvimento de qualquer projeto de design de interiores, vamos contextualizar o termo para a realidade da sua casa.
As medidas dos espaços precisam ser respeitadas
Antes de escolher os móveis para a sua casa, é preciso saber se eles de fato são para a sua casa. Explico melhor. Cada ambiente possui medidas definidas, correto? E é preciso que haja uma circulação eficiente dos moradores da casa dentro dos cômodos, que não se esbarre nos móveis, e que haja conforto visual, com a escolha de uma quantidade de objetos adequada para o tamanho de cada espaço.
Para que se tenha uma ideia, espaços mal projetados, com soluções inapropriadas aos moradores, são sinônimo de falta de pesquisa e entendimento sobre que tipo de tarefas são realizadas em cada ambiente e por quem, ou seja, qual a altura e a largura da pessoa.
Medidas harmônicas
Saber quem é a pessoa que utilizará o ambiente é importante na hora de escolher as cadeiras, por exemplo. Elas devem ter uma altura que permita colocar os pés inteiros no chão.
Já para calcular a altura ideal de uma estante ou prateleira, deve-se ficar em pé em frente à parede, esticar um dos braços para frente, na horizontal, e depois eleva-lo a um ângulo de 45 graus. A prateleira mais alta deve ficar na altura da mão.
Quando falamos de alturas de mesas, dependendo do tipo, elas diferem. Por exemplo, a mesa de jantar pode ficar na altura dos cotovelos, ao sentar em uma cadeira. Já a escrivaninha deve ter uns 10cm a mais de altura para aproximar o trabalho dos olhos e evitar que se curve. Se a mesa do escritório for usada por várias pessoas da família, melhor procurar uma cadeira com assento e encosto reguláveis e que apoie a região lombar.
Circulação nos ambientes
Uma circulação adequada nos ambientes da casa significa poder circular livremente entre os móveis e também usa-los confortavelmente. Dentro da ergonomia, usar um móvel de modo confortável quer dizer que, ao abrir portas e gavetas dos armários ou ao afastar cadeiras em volta da mesa, por exemplo, deve-se faze-lo sem nenhuma barreira ou sem atrapalhar a circulação das outras pessoas.
A circulação quando é natural flui sem problemas, isto é, sem desvios dos moradores de móveis e outros objetos. Já quando a circulação é considerada “forçada” os moradores desviam do caminho natural por motivos funcionais ou estéticos. Nesse caso, deve-se usar elementos que redirecionem o fluxo, como diferentes materiais no piso, cores, tapetes, alternância de alturas no teto ou, até mesmo, iluminação adequada.
É por isso que em um projeto de design de interiores deve-se seguir algumas medidas padrão para se fazer um estudo de circulação e de distribuição dos móveis nos ambientes.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *